Curitiba dos Parques

Eu li este texto no fórum bicicletada Curitiba. Depois, avisaram que saiu na Gazeta do Povo, seção Coluna do leitor, que transcrevo abaixo. É ou não é surreal?

Minha mulher e eu fomos ao Bosque do Papa para assistir a um show. Na entrada, descemos das bicicletas e, empurrando-as, circulamos o local. Sentamos num banco quando fomos abordados pelo guarda municipal que nos informou que não poderíamos ficar “parados” com as bicicletas no Bosque do Papa. Juntou-se a nós mais um ciclista. O guarda educadamente nos mostrou a lei que dizia “o ciclista desmontado da bicicleta equipara-se ao pedestre”. Correto, mas na sua interpretação nós ciclistas só poderíamos ficar no Bosque se estivéssemos andando. Não entendemos nada e ninguém que presenciou o fato entendeu. Pedimos melhor orientação para evitar situações como essa. Será que numa cidade como Curitiba não podemos nos sentar num parque ou bosque com as nossas bicicletas ao lado?

Aroldo Zimmermann, engenheiro eletrotécnico, por e-mail

Share

2 Comments

  • Amigo Renato… Eu vivo mostrando a minha namorada que falta de educação não é uma exclusividade nossa – habitantes das regiões mais pobres do país! – de forma alguma. Que todos os povos têm seus educados e deseducados, tenham eles ou não educação formal. Parece um contracenso: deseducados com educação formal – mas educação doméstica é outro tipo que muitas pessoas não têm mais, apesar de doutorados nisto ou naquilo. Este guarda está certo e ao mesmo tempo errado. Quando diz “o ciclista desmontado da bicicleta equipara-se ao pedestre” repete o CTB [ELE SABE! MILAGRE!], mas mistura tudo, porque deve ser um chato mesmo!.. A assertiva não significa TAMBÉM que “aqui no parque, só montado nelas!”… só que em alguns aparelhos urbanos como calçadas, ela não deve ser usada como bicicleta com alguém montado. Mas nada a impede de ser empurrada ou mesmo ficar parada ao lado do dono. Aliás, isto tb está no código!

Post a new comment

Your email will not be published.
Submitting comment...