Dia mundial sem carro: 22/09/2009

Acredite se quiser! A prefeitura vai fechar algumas ruas do centro da cidade, no dia mundial sem carro. Veja o anúncio da página da prefeitura:

Dia Sem Carro terá lazer, cultura e serviços em ruas do Centro, que serão fechadas ao trânsito

No Dia Mundial Sem Carro, 22 de setembro, o trecho mais central da rua Marechal Deodoro, da rua João Negrão à Marechal Floriano Peixoto; os acessos à praça Tiradentes e a rua Barão do Rio Branco, entre o Paço Municipal e a André de Barros, parte da praça Osório e proximidades da praça Santos Andrade serão fechados ao trânsito de 6 da manhã às 20h, da noite. No lugar de carros e motos, estas ruas vão abrigar exposição de terráreo, condomínio da biodiversidade, feira de produtos orgânicos, atrações artísticas, jogos e brinquedos, educação de trânsito, artesanato, exames de saúde e uma série de outras atividades de lazer e serviços para a população. O evento já tem um twitter: twitter.com/ctbasemcarro

Neste dia, apenas ônibus, bicicletas, pessoas a pé e veículos de serviços essenciais e de emergência terão acesso aos trechos interditados. A ideia é incentivar o curitibano a deixar o carro em casa e criar oportunidade de debate e reflexão sobre a necessidade de reduzir a emissão de poluentes contribuindo com o planeta e, de quebra, com a própria saúde.

O Dia Sem Carro terá, em Curitiba, o envolvimento de praticamente todos os setores da administração municipal e a expectativa é que também as empresas privadas incentivem seus funcionários a deixar o carro na garagem no dia 22 de setembro.

“O Dia Sem Carro é um convite para deixar o carro na garagem, para transitar de ônibus, a pé ou de bicicleta, observando a diferença em função da redução do trânsito”, afirma Marcos Isfer, presidente da Urbs, Urbanização de Curitiba S/A, empresa responsável pelo gerenciamento do trânsito e do transporte coletivo na cidade. “Com o Dia Sem Carro Curitiba une-se ao esforço mundial de conscientização de que todos podem ajudar a reduzir a poluição”.

A importância do Dia Sem Carro é ainda maior se levado em consideração que Curitiba tem um dos mais altos índices de motorização do país – de 1,67 habitante por carro. Em apenas dez anos o número de carros em Curitiba passou de 684.212 mil, em 1999, para 1.097.830, em 2008. Neste mesmo período, a população estimada da cidade passou de 1.578.396 para 1.828.092 de habitantes. Ou seja, em uma década, a frota aumentou em 413.618 carros e a população em apenas 249.696 habitantes.

Sem carro e de ônibus – Além de ser o Dia sem Carro, o dia 22 de setembro marcará também os 35 anos do primeiro ônibus Expresso que circulou por Curitiba, inaugurando o sistema de via exclusiva – canaleta -, em 1974. A cidade tem hoje seis eixos de transporte do sistema Expresso, o mais novo a Linha Verde, inaugurado em maio pelo prefeito Beto Richa. A Rede Integrada de Transporte (RIT) tem atualmente 81 quilômetros de canaletas e transporta 2,3 milhões de passageiros por dia.

Curitiba também chegará ao Dia Sem Carro deste ano com mais uma iniciativa inédita – a de ter ônibus do transporte coletivo rodando apenas com biocombustível, sem óleo diesel. São seis ônibus da Linha Verde que desde o dia 28 de agosto estão sendo abastecidos 100% com biocombustível (B100), com a estimativa de uma redução, em média, de 50% na emissão de poluentes. Com motores Euro III, os ônibus do B100 reduzem em até 70% a emissão de poluentes, se comparados aos ônibus com motor Euro I abastecidos a diesel.

Desde 2005, a Prefeitura intensificou a renovação da frota de ônibus o que significa também redução de poluentes. A substituição, até o fim deste ano, de 1.120 ônibus irá gerar uma redução na emissão de poluentes de 161 toneladas por mês. Isso porque os veículos que estão saindo de circulação, têm motores com tecnologia Euro I, sem injeção eletrônica, o que impede a queima ideal do combustível.

Os novos ônibus, com motores Euro III, fazem a queima quase completa do combustível e reduzem à metade a sobra do material tóxico que sai dos motores na forma de fumaça e fuligem. Em quatro anos, a frota terá emitido 9.964 toneladas de poluentes a menos.

Share