Estrada Dom Pedro

Estrada Dom PedroÚltimo pedal do ano precisava ser algo merecedor de um artigo. E foi, mais pelo prego do que pelo pedal!

Combinamos na noite anterior ir comer um pastel ao final da Estrada Dom Pedro e, se estivesse fechado, como sempre está, ir até o mirante Engº. Lacerda, por que ali tem pastel, chova ou faça sol.

O sol não deu as caras, o tempo encoberto permitiu um pedalar tranquilo, sem muito calor e com pouco vento, na ida. Depois vendo o edge 500 descobri que a temperatura chegou até os 33 ºC! Legal foi ver as nuvens do tipo lenticular sobre as montanhas.

Estrada Dom Pedro

Da minha casa, indo pela canaleta até a Igreja da Santa Cândida, lugar onde o Luiz me esperava, até o mirante, deu 51 km. Fazendo as contas, ida e volta daria 102 km. Mas na volta decidimos ir pelo contorno até a BR-277 e voltar para Curitiba.

Aí começaram os problemas. Acredito que eu tenha me desidratado, pela quantidade de suor e pelo mal estar geral que foi me dando. Assim, a volta foi um sacrifício e quando chegamos no contorno o vento, aquele lazarento, estava contra e forte. De noroeste e com rajadas ultrapassando 30 km/h. Já viu, não é?

Consegui chegar até o SAU do contorno e tomei alguns copos de água e café. Aquilo pareceu dar uma melhorada. Também lavei o rosto e joguei bastante água na cabeça, para ver se funcionava melhor! Enquanto o Luiz trocava a câmara de ar, ele foi o único premiado, chamei o resgate.

Pedalei até o posto da Ipiranga, ali na Rui Barbosa, enquanto esperava a Patrícia me pegar. Fechei com quase 100 km, enquanto o Luiz, nobremente, voltou pedalando, contra o vento, claro.

Resumindo, apesar do sofrimento na volta, pedal muito bom de se fazer e em uma região muito bonita. Vale a pena conhecer o lugar. Volta e meia eu passava por ali de moto.

Estrada Dom Pedro

Na parada para o pastel conhecemos um paulista de férias que desceu e subiu a Graciosa de speed. Estava realizado!

enfim, foi este o pedal de fim de ano para pedalar na estrada Dom Pedro.

Share