Pedal de férias

O Fabrício chamou de pedal dos desocupados mas eu não acho que seja um bom nome, mesmo que a carapuça me sirva! Trabalhamos o ano todo, nada mais justo que nas horas de folga pedalemos por aí…

Pedal combinado de supetão, resolvemos ir para os lados da represa Passaúna em plena terça-feira, um lugar muito bonito e calmo, pelo menos naquelas horas da manhã. Logo após a ponte da represa já é Campo Largo, bairro Ferraria. Resolvemos subir a rua Mato Grosso e logo vimos que algumas estradas não estavam mapeadas. Bom, a partir daí o pedal foi por estas estradas nunca antes pedaladas na história deste país.

Mas falta mapear muitas outras por ali, logo resolveremos esta questão. O dia estava se preparando para chuva e de fato caiam alguns pingos, mas tivemos tanta sorte que acabamos indo por onde a chuva não estava caindo.

A região a partir do Passaúna tem um relevo bem dobrado, com muitas subidas e descidas. Parafraseando o Fabrício, tudo o que desce, uma hora sobe. Enfim, um bom local para treinar as pernas com suas subidas em estradas calmas.

Pedal bom, sossegado e ainda conhecemos a tal Colônia Revier, no momento com extensos milharais. Seguimos mais um pouco adiante e logo saímos na BR-277, na altura do Posto Guarani. Chegando em Curitiba percebemos que havia chovido mais forte, com o asfalto molhado. E nós secos!

Segue o track, emprestado do Fabrício.

Share