Uma nova queda

Sempre digo que cair e algo estatístico: mais dia menos dia vai chegar a sua hora. Hoje foi a vez da minha queda. Queda não, colisão com um cachorrão!

Nós vínhamos descendo a última parte da estrada da Roseira, eu mais a frente, só girando, quando ao chegar em uma esquina vejo se aproximando uma moto. Junto com a moto uns três cachorros atacando o motociclista e ele olhando para os cachorros. Achei que ele não fosse parar, o que acabou acontecendo, e desviei para o centro da pista. Também não percebi que havia dois carros atrás de nós, uma fiorino de entregas de uma loja de tintas e uma viatura policial, uma Duster.

Quando desviei acabei pegando o cachorro que vinha mais rápido que a moto. Dei bem no meio dele, a roda virou para esquerda e caí por cima do cachorro pelo lado direito, o que acabou sendo a minha sorte. O cara do fiorino conseguiu desviar de mim, mesmo sabendo que a viatura estava colada a ele, e parou no acostamento,na contra-mão. ele parou para oferecer ajuda. E a viatura da Polícia Militar do Paraná? Foi embora, afinal, o que é um cara caído no chão, não é mesmo? Lixo, acho eu.

Logo chegou um morador das proximidades e ofereceu ajuda, mas não foi preciso. Fiquei a pedido do Valter e do Bruno, deitado no asfalto, até me restabelecer. Levantei, vi que não tinha quebrado nada. Levantei a bicicleta e ficamos conversando sobre o acontecido. Ralei o cotovelo, parte da perna abaixo dos joelhos e na penra, na altura do quadril, um ralado mais significativo.

Minha última queda foi no pedal para Guaricana-Chaminé e Castelhanos, assim estava no hora! O duro é se levantar e ver os estragos.

Queda

O capacete partiu em vários pedaços, tal foi o impacto no asfalto. Estava com ele desde 2007, e mostrou para o que serve. A camisa, novinha, virou uma peneira, mas cumpriu bem o seu papel, apesar dos estrago na camisa, não ralei as costas! A bermuda ganhou furo na altura dos quadris, am ambos os lados, a sapatilha ralou o fecho no pé direito.

Queda

Quanto a bike, rasgou parte da fita do guidão, um ralado significativo no selim, e ralados no STI e no pedal, nada que não enobreça a guerreira!

Quero agradecer ao Valter e esposa, que me trouxeram até em casa, ao Bruno pr ter paciência e, especialmente, ao morador dali e o motorista da fiorino que forma muito prestativos, ao contrários daqueles que se pagos com nosso dinheiro para nos servir e proteger.

Queda

Share