Colônia Marcelino, com fotos!

Ontem saímos para dar uma pedalada e resolvemos de última hora repetir a pedalada para Marcelino. Fomos o Antônio, o Joaquim e eu, apenas. Era final de semana de feriadão (Corpus Christi) e a maior parte do pessoal viajou.
Saímos cedo, sete e pouco da manhã, com o sol nascendo. Passamos na casa do Joaquim e fomos embora. Seguimos pela Rui Barbosa, em direção a Cachoeira e tirando uma subida logo após o rio, muita planície, dá até sono.

Colônia Marcelino

A região aqui de São José é repleta de Igrejas, para cada canto que você vai, aparece uma. Tem até um pedal chamado pedal das igrejas , ainda não o fiz, mas logo, logo, o faremos. A igreja abaixo é a igreja da Cotia.

Igreja de Cotia

Continuando o pedal, passamos por alguns lugares que são realmente muito bonitos, com uma bela vista da serra do mar. Como havia um pouco de neblina, o cenário estava completo.

Colônia Marcelino neblina

Chegando à Colônia, temos, na baixada, um lago, e em cada um dos morros, à esquerda e à direita, a igreja católica e a igreja católica ucraniana.

Colônia Marcelino lago

A igreja ucraniana, com seu telhado típico:

Colônia Marcelino igreja ucraniana

e a igreja de São Pedro, com a pintura novinha em folha!
Colônia Marcelino igreja S. Pedro
Hora de voltar, agora rumo a Campo Largo da Roseira, para quem não conhece, onde está localizada a VW-Audi. Pedal tranqüilo, muita parada para olhar a paisagem e jogar conversa fora. Pena que o meu resfriado estava pegando forte, já não agüentava mais respirar só pela boca, de tão congestionado que estava.
Uma paradinha para foto, agora com os três ciclistas. Não reparem nas sapatilhas, mas acho que só vendem este modelo por aqui!

três sapatilhas iguais

Resolvemos passar por um atalho, o que para nós não significa, necessariamente, um caminho mais curto. O Joaquim, que é quem mais conhece a região, nos guiou pelo tal atalho:

atalho do joaquim

Fim do atalho: uma plantação. Pelo menos deu um single track em meio a um capão de mato, com uma estradinha apenas para tratores.

atalho lama joaquim

E a única lama em todo o caminho!

atalho lama joaquim

Depois de acharmos o tal do oleoduto, o fizemos em sentido contrário, isto é, subindo. Este trecho em bem legal, pois no local onde fica o oleoduto não passa nada além de bicicletas, tratores e animais, então o solo é bem irregular e cheio de minas bovinas!

O trecho final foi pela Campina do Taquaral que acaba no contorno, em frente a fábrica da Temparaito.

campina do taquaral

Bem, acabou o pedal. A manhã do domingo foi muito boa, pois apesar de estarmos no final do outono, a temperatura estava bem agradável, tempo seco e pouco vento pela manhã.

  • Temperatura na saída: 12 °C (25 ºC na chegada)
  • Total do trecho: 72,8 km
  • Tempo de pedal: 3:51 h
  • Velocidade média: 18,9 km/h
  • Acumulado do mês: 260 km
Share