Meias Lorpen

Mieas LorpenRecentemente recebi um par de meias Lorpen para testar. Como o clima andava meio ruim para estes lados, ela ficou encostada um tempão. Mas o tempo melhorou e resolvi usá-las, afinal deveria fazer um teste.

Primeira sensação, a meia veste bem, o tamanho que tenho é XL e ela se adaptou muito bem aos pés (calço 43/44). Calcei a sapatilha, uma parecida com tênis de aventura, da Shimano. Senti um pouco de aperto, pois a meia tem volume, mas vamos lá!

O resultado: você esquece que tem uma meia em seu pé, tal o conforto da mesma. Ontem usei-a em outro pedal, era noite e estava um pouco frio, pude novamente constatar a qualidade da meia. Não senti frio nos pés e o conforto é muito grande.

As meias Lorpen vêm em uma grande variedade de tipos: caminhada, escalada, esportes em geral, mas todas têm em comum o cuidado de quem fabrica pensando no usuário. Antes da Lorpen eu usava meias comuns de algodão e uma vendida como meia para ciclista, extremamente curta, sintética, difícil de tirar e por, e não via nada de mais: sentia frio nos pés, desconforto com as costuras e pés úmidos, ao final da pedalada.

O tratamento bactericida evita o odor (chulé) e os fios usados na meia permitem uma rápida evaporação da umidade. Este modelo em particular, Multisport Coolmax FX, vem com três camadas de tecido: a externa de nylon (poliamida) que confere resistência, a camada intermediária de Coolmax®FX que é bactericida e permite a rápida secagem e a camada interna de modal, macia e confortável. A composição dos tecidos é 50% de Coolmax®FX, 25% de Modal, 15% de Nylon e 10% de Lycra.

Conclusão: as meias Lorpen são fantásticas para o uso no Mountain Bike. Extremamente confortáveis, secas e sem cheiro. É um produto que recomendo. Até vou comprar um par do outro modelo (hiker) para usar na moto.

Este artigo foi patrocinado pela www.proativa21.com.br, que me ofereceu a meia para teste e para um review absolutamente honesto. Agradeço ao Marcus Araújo pelo envio deste excelente produto. Recomendo!

Share

3 Comments

  • Pingback: Renato Machnievscz

  • Pingback: Pedaleiro

  • Já usei algumas assim quando fazia trekking. E tb no Caminho de Santiago. Realmente são obras primas de engenharia textil. As minhas tb eram volumosas, mas as botas de trekking são entre 1 e 2 tamanhos maiores que o normal. O que é ruim é a relação custo/durabilidade. Elas são caras, e duram pouco. Uma meia simples de algodão atoalhado dura bastante por aqui e custa barato, mesmo as muito boas. Como não temos temperaturas muito baixas por aqui, no fim das contas, não tem muito uso estas meias especiais! Mesmo assim, ideal para quem pretende se aventurar em locais frios!

Post a new comment

Your email will not be published.
Submitting comment...