Pedal do frio

Aceitei o convite o do Leandro e saímos para um pedal, no domingo, com um frio tremendo (trocadilho ingrato). Na saída, isto perto das 9:00 da manhã a temperatura era de apenas 3° C. Àquela hora ainda havia sol, que aos poucos foi dando lugar às nuvens e um terrível vento. Convidei o Leandro para contar a nossa aventura. Com a palavra o Leandro:


Olá pessoal

Ontem, domingo, como de costume fizemos mais um pedal. De todas as milhares de pessoas que chamei apareceram EU, o João, e o Renato, que encontramos em São José e até então não conhecíamos pessoalmente, apenas por e-mail.

Saímos do Shopping Estação as 08:05h e encontramos com o Renato às 08:50h, já em São José. Conversamos um pouco e já saímos, afinal, com o frio de 6° C (temperatura que o Leandro viu ainda em Curitiba), não era confortável ficar parado.

Seguimos em direção à Colônia Murici, aprendi um atalho (muito legal) que desvia o paralelepípedo e acaba bem próximo a Colônia, dali seguimos pela estradinha de sempre, em direção a estrada do Avencal. Paradinha rápida num botequinho pra reabastecer as energias e seguimos por um caminho novo, a partir desse momento as fotos começaram a ser tiradas e as subidas começaram a aparecer de verdade. Uma pior que a outra. Eu, que já estava cansado por ter trabalhado no sábado até 01:00h da manha, me acabei por ali mesmo, relação 1:1 em todas as subidas, se a bike tivesse a relação -1:-3 seria mais fácil hehe.
Sorte que o Renato teve a paciência de um monge tibetano para nos esperar no final da cada subida. Nunca me enrolei tanto pra fazer um trecho assim. Mas enfim, na metade do caminho eu já não tinha força pra mais nada, o que me salvou foi uma barrinha de cereais que o João tinha, e assim, fui me arrastando atrás dos dois até chegarmos na Colônia Murici novamente, onde paramos num botequinho pra comer (de novo). Detonei uma garrafa de Gatorade, um pacote de salgadinho, uma barra de chocolate, e uma caixinha de mentos. Recuperado, iniciamos a volta. Muito tranqüila, com energia é mais fácil 🙂

Em anexo segue algumas fotos tiradas pelo Renato, são várias em que estamos subindo, e parece ser a mesma subida, mas não é. São muitas subidas…
pedal do frio

Pedal do frio

Leandro e João

repolho

Cheguei em casa com 78km em 04:58h de pedal, que deu uma média de 15km/h. O Renato disse que faz o mesmo trecho com uma média de 23km/h, então dá pra imaginar o quanto de paciência ele teve hehe Passamos pela Colônia Murici, pelo Saltinho da Malhada, e pela região da Malhada.

Apesar do cansaço, vou querer repetir o trecho, mas não depois de um dia inteiro de reforma em casa.

Pontos positivos:

  • Conhecemos mais uma estradinha legal;
  • Região com um visual muito bonito, com alguns mirantes com vista para as montanhas da serra;
  • Estradinha gostosa de rodar;
  • Conhecemos o Renato, gente fina. Se mostrou super companheiro, se ele quiser pedalar com a gente de novo será sempre bem-vindo. Mas vai ter que ter paciência pra esperar a gente no final das subidas hehe.

Pontos negativos:

  • Clima (muito frio e vento);
  • Algumas subidas fortes (ficaram mais puxadas por eu estar cansado).

É isso ai, até o próximo

Teh

Leandro

Atualizado: Lendo o excelente Romário Bikers descobri que tem mais doido por aí: Frio, muito frio!

Share